Saúde e Sexualidade Juvenil

Página Inicial  >  Saúde e Sexualidade Juvenil  >  Sexualidade  >  Prevenção e contracepção
  A pílula A pílula
Características específicas da pílula contraceptiva

A pílula é um método contracetivo muito eficaz quando corretamente utilizado. Cada comprimido contém hormonas sintéticas semelhantes às que são produzidas pelos ovários: o estrogénio e a progesterona.


Logo, uma pessoa que tome a pílula não tem período fértil e, por isso, não pode engravidar.


A pílula é um medicamento e como tal, deve ser sempre aconselhada por um técnico de saúde.

Existem diferentes tipos de pílula. Na maioria das marcas, os comprimidos tomam-se diariamente, durante 21 dias consecutivos, seguidos de um período de 7 dias de pausa. Neste espaço de tempo, poderá ocorrer uma hemorragia - a chamada hemorragia de privação.


Findo o período de pausa, recomeça-se uma nova embalagem no 8º dia, mesmo que não tenha ocorrido a hemorragia. A pílula deve ser tomada aproximadamente à mesma hora. A eficácia contracetiva mantem-se durante todos os dias do mês, quer seja durante a toma, quer durante o período de pausa.

A hemorragia que normalmente surge na pausa da pílula não é uma verdadeira menstruação, uma vez que a pílula inibe as ovulações. No entanto, por uma questão prática de linguagem, existem pessoas que chamam “menstruação” à perda de sangue que ocorre durante esse período.

Esta perda de sangue (“a menstruação”) habitualmente é regular, facto agradável, pois assim podes prevenir-te e programar algumas das tuas atividades. Para além disso, as perdas de sangue também são menos intensas e duram menos tempo do que uma menstruação normal. 

A pílula tem um índice de eficácia muito elevado. Deves, no entanto, ter muita atenção no caso de tomares medicamentos conjuntamente com a pílula, pois alguns podem diminuir a sua eficácia.

Também deves ter atenção no caso de existirem esquecimentos superiores a 24 horas ou vómitos e/ou diarreia nas primeiras 4 horas a seguir à toma da pílula. Nestes casos, deves sempre consultar um técnico de saúde ou ligar para a Sexualidade em Linha – 808 222 003.  

No primeiro mês da toma, a partir de quando é que a pílula é eficaz?

No primeiro mês a eficácia da pílula é garantida se for iniciada no 1º ou no 2º dia da menstruação.

 Se, por alguma razão, decidires começar a tomar a pílula noutra altura (sem estares nos primeiros dois dias da menstruação) podes fazê-lo. No entanto, a proteção contracetiva não é imediata e são necessários 7 dias de toma correta e consecutiva para que ela seja eficaz. Se quiseres ter relações sexuais nessa altura deves utilizar um outro método contracetivo, como por exemplo, o preservativo.  

Se quiseres proteger-te das infeções sexualmente transmissíveis, deves utilizar também o preservativo.

A pílula contracetiva pode ser tomada por quase todas as mulheres em idade fértil, mas como qualquer outro medicamento deve ser aconselhada por um técnico de saúde.

 Existem várias marcas de pílula, com componentes e dosagens diferentes, umas mais adequadas que outras, ao organismo de cada mulher.


Em mulheres fumadoras, a partir dos 35 anos recomenda-se a utilização de outro método contracetivo ou de uma pílula que apenas contenha na sua composição progestativos, uma vez que a pílula combinada poderá aumentar a possibilidade de surgirem efeitos secundários.


As mulheres que tenham doenças hepáticas (fígado) ou que tenham tido acidentes tromboembólicos ou vasculares também não têm indicação para tomar a pílula (combinada) bem como mulheres que tenham de fazer medicação de forma continuada que diminua a eficácia da pílula, como é o caso dos medicamentos para a epilepsia e dos antirretrovirais.


Por todas estas razões é sempre importante consultar um profissional de saúde!


Se te esqueceres de tomar  um comprimido e se o atraso for inferior a 24 horas, toma o comprimido assim que deres conta do esquecimento e continua a tomar a pílula normalmente, tomando o comprimido seguinte à hora habitual.  

Nesta situação, caso tenhas relações sexuais não é necessária a utilização de proteção adicional, nem de recorrer à contraceção de emergência, uma vez que a eficácia da pílula continua assegurada.

De acordo com o novo” Consenso sobre Contraceção 2011” uma falha de um comprimido não compromete a eficácia da pílula, independentemente da semana em que aconteça.

Se te esqueceres de dois ou mais comprimidos, a situação já é diferente. Esses esquecimentos podem diminuir a eficácia da pílula.


Se os esquecimentos ocorrerem na primeira semana (do 1º ao 7º comprimido), a eficácia da pílula fica comprometida. Deves tomar os comprimidos esquecidos e ter em atenção se existiram relações sexuais nos 3 dias anteriores, pois se foi o caso, deves ponderar recorrer à Contraceção de Emergência e continuar a tomar a pílula normalmente. Para além disso, deves utilizar proteção adicional (preservativo) nos 7 dias seguintes (7 dias de toma de pílula consecutivos);


Se os esquecimentos foram na segunda semana (do 8º ao 14º comprimido), prosseguir a toma da embalagem e usar proteção adicional nos 7 dias seguintes;

     
Se os esquecimentos acontecerem na terceira semana (do 15º ao 21º comprimido) deves terminar a embalagem e iniciar outra sem fazer pausa, assim como usar contraceção adicional nos 7 dias seguintes.

Se continuas com dúvidas, deves consultar um profissional de saúde ou ligar para a Sexualidade em Linha - 808222003.

Este incidente não prejudicará em nada a tua saúde. O que acontece é que a embalagem vai terminar um dia mais cedo. Assim sendo, deverás iniciar a nova embalagem também um dia mais cedo do que o habitual.

Outra opção é tomar um comprimido de uma embalagem de reserva da tua pílula, mantendo assim os mesmos dias de início e de término da pílula.

Se passaram menos de 4 horas desde a última toma:


Tomar um outro comprimido (por isso, é conveniente teres em casa uma embalagem adicional para estas situações) e continuar a tomar a pílula, da mesma forma e à hora habitual.

Assim, a proteção contracetiva é mantida e não há nenhum risco adicional.


Caso não tomes outra drageia por motivos de mal-estar intenso ou por ausência de uma embalagem de reserva, deves proceder como uma situação de esquecimento (ver resposta sobre esquecimentos).


Se passaram mais de 4 horas:
Não te preocupes! A segurança contracetiva está assegurada, continuas protegida de uma gravidez.   

 
É frequente aparecerem pequenas hemorragias durante os primeiros meses de toma da pílula. Estas hemorragias, geralmente pouco intensas, são chamadas de “spotting” e normalmente acabam por desaparecer.

Isto Significa que o teu organismo se está a adaptar. A pílula é eficaz da mesma forma e estas perdas de sangue não prejudicam em nada a saúde.

 Se continuares com “spotting” para além dos 3 ou 4 primeiros meses, deverás falar com o teu médico, pois pode ser necessário mudar de marca de pílula. No entanto, não pares de a tomar até conseguirem falar com ele.


Quais são as vantagens da toma da pílula?

  • Hemorragias mais regulares e previsíveis;
  • Hemorragias mais ligeiras que previnem problemas associados à perda abundante de sangue, como por exemplo, anemia;
  • Diminuição das dores menstruais;
  • Menor risco de cancro do ovário e do endométrio;

E quais as desvantagens?

  • Não previne as infeções sexualmente transmissíveis;
  • Exige um compromisso diário da mulher; 
  • A mulher pode apresentar alguns efeitos secundários, tais como: dores de cabeça, tensão mamária, retenção de líquidos. Estes efeitos são transitórios, e na maioria das vezes, desaparecem. Se isto não acontecer, deves consultar o teu médico.

 

Porque que razão há tantas pílulas no mercado?
As pílulas diferenciam-se umas das outras, tanto pela dosagem como pelo tipo de hormonas que as constituem; há ainda a considerar as que se adaptam melhor a cada mulher, tendo em conta a sua idade, os seus hábitos de vida (ex.: serem fumadoras) e história clínica (ex.: doenças tromboembólicas, hipertensão, entre outros).  


É verdade que a pílula engorda?
Não existem provas que a pílula contracetiva, por si só, engorde. O que acontece, por vezes, é um aumento do apetite devido ao efeito dos progestativos e um aumento de retenção de líquidos devido aos estrogénios. Mas isto não é regra! Existem casos em que a mulher até emagrece!


O que é importante é a mulher manter um estilo de vida saudável, alimentar-se corretamente e fazer exercício físico.

 

A pílula protege das Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST)?
A pílula não confere qualquer tipo de proteção em relação às IST. Para esta proteção, apenas o uso do preservativo previne o contágio de algumas infeções. Quando usado em simultâneo com a pílula, passa a existir uma dupla proteção.


 

A pílula afeta a fertilidade de uma mulher?
Não existe nenhuma relação científica que associe a infertilidade feminina ao uso de contracetivos hormonais. A partir do momento em que a mulher deixa de tomar a pílula, pode engravidar.


 

É verdade que a pílula provoca o cancro?
Não. A utilização da pílula parece ter alguns benefícios para a saúde, nomeadamente, a prevenção de cancro no endométrio e no ovário, diminuição da ocorrência de doença inflamatória pélvica, da doença mamária benigna e anemia.

 


Partilha esta informação E-mail | Facebook | Twitter
pesquisa
eventos
fala connosco
Linha da Juventude707 20 30 30
Linha
da Juventude
Ponto Já
   
Sítio acessível
segundo as normas do W3C